Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

zona de desconforto.

zona de desconforto.

12
Fev15

Beauty | Makeup

No início do ano resolvi fazer um investimento em maquilhagem. Estava satisfeita com a maioria das coisas que usava mas também já estava aborrecida por ser sempre mais do mesmo e queria experimentar novos produtos. Uma das coisas que precisava mesmo de comprar, e que era uma grande falha no meu cesto de maquilhagem dada a sua inexistência, era uma base e foi exactamente por aí que comecei. Desde que apareceram os BB Creams que os passei a usar como substitutos das bases mas de repente, e sem saber bem como nem porquê, aquele que usava - da Garnier para peles mistas a oleosas - desapareceu do mercado. Eu, pelo menos, nunca mais o vi. Nas grandes superfícies só encontro o Aperfeiçoador Sublime que não só não é para o meu tipo de pele, como a cor mais clara é demasiado escura para mim. É a história da minha vida... Se alguém voltar a ver o BB Cream da Garnier, que já me fez tão feliz, por favor grite!, que eu vou logo comprar uma data deles.
Adiante, sem BB Cream tive de me virar novamente para as bases, que se no Verão ainda me aventuro a sair de casa só com um bronzer, no Inverno isso é impossível. Sou muito branquinha e com o frio a pele fica mais baça e sem graça por isso preciso mesmo da ajuda dos pózinhos de perlimpimpim para ter um ar apresentável. Antes de me pôr a comprar fosse o que fosse vi imensos vídeos no YouTube sobre o assunto - a Lisa Eldrigde, editora criativa da Lancôme, é a minha mentora virtual. Adoro-a! -, para não me pôr a comprar a primeira coisa que me aparecesse à frente. Depois de ver os vídeos e de fazer contas à vida consegui perceber exactamente o que queria: uma base oil free, com cobertura média, textura leve para ser mais fácil aplicar, acabamento mate e que custasse, no máximo dos máximos, 20€. Quando fui tratar do assunto ia com ideias fixas na Healthy Mix Serum da Bourjois - tem críticas óptimas! - mas, infelizmente, os saldos arrasaram o stock da Sephora do Colombo e quando lá fui já não tinham nada daquela gama, por isso virei-me para as da marca própria da Sephora.


s1492883-main-zoom.jpg


 


Custou 15€ e era exactamente o que procurava: super fácil de aplicar e com um acabamento muito natural. Como já estava muito habituada ao BB Cream, que tem uma cobertura muito inferior à das bases, da primeira vez que a usei no rosto todo fiquei chocada. Achei a pele demasiado... perfeita, se é que isso é possível. Isso é bom, claro!, é isso que se quer numa base, que nos esconda as imperfeições, mas não estava preparada para tanta perfeição. Por isso, para o dia-a-dia, uso a técnica da Lisa Eldrigde para obter um look no makeup makeup. Em vez de a pôr no rosto todo aplico-a só onde acho que é necessário, nas zonas mais vermelhas ou com alguma descoloração, e basta isso para ficar com uma cara muito mais fresca e perfeitinha. Esta base da Sephora apregoa que dura 10h e, de facto, confere. Uso maquilhagem durante 12h, mais coisa menos coisa, e mesmo sem pó compacto - próxima compra! - ela aguenta-se incrivelmente bem. Não derrete nem é absorvida pela pele e chego ao fim do dia com o mesmo ar fresco que tinha às 9h da manhã. É possível que no Verão, com o sol e o calor, o desempenho já não seja o mesmo, mas é aí que entra o pó compacto. Estou mesmo muito satisfeita com a minha compra! Se estiverem à procura de uma base boa e em conta esta é uma óptima opção.

E por falar em coisas em conta. Já tinha falado aqui da minha paixão pela Bad Gal Lash, a fantástica máscara de pestanas da Benefit. Já a usava há cerca de três anos e era a melhor máscara que tinha experimentado, mas... há sempre um mas. Era perfeita em tudo menos no preço. É muito muito boa, sim, mas custa 30€. Por isso quando a embalagem que tinha lá em casa começou a dar as últimas decidi que tinha de encontrar outra igualmente boa mas mais baratinha. Despachada, como de costume, fui ao Continente e trouxe uma das mais baratas que havia, a Explosão de Pestanas da Maybelline. Big mistake. De facto aquilo provoca uma explosão mas não é de pestanas, é mesmo de tinta preta à volta dos olhos. A fórmula é demasiado húmida e isso faz com que seja mais difícil de aplicar, as pestanas ficam todas coladas e, pior que isso, transfere imenso! Para mim isto é a pior coisa que uma máscara de pestanas pode fazer. Perdi a conta à quantidade de vezes que me via ao espelho durante o dia porque já sabia que tinha de retocar a maquilhagem. Não há nada que me enerve tanto. Gosto de pôr rímel de manhã e não ter de me preocupar mais com as pestanas. É simples. Duas semanas depois fartei-me, voltei ao supermercado e trouxe a Volume Million Lashes da L'Oreal.


 


L_Oreal_Paris-Oogmake_up-Volume_Million_Lashes.jpg


 


É um bocadinho mais cara que a da Maybelline, custou 15€, mas é incomparavelmente melhor. Aliás, arriscaria dizer que é a substituta perfeita da máscara da Benefit! Eu sei que posso estar a ser demasiado ousada ao afirmar uma coisa destas porque os produtos da Benefit são, de facto, fora de série, mas juro-vos que é a verdade. Pelo menos nas minhas pestanas o efeito é o mesmo. Aliás, até acaba por ser melhor porque acho que esta da L'Oreal separa melhor as pestanas. É muito fácil de aplicar, as pestanas ficam separadas, longas e com volume. E, o melhor de tudo, não transfere NADA! Não tenho de me preocupar com o facto de estar com olhos de panda duas horas depois de me ter maquilhado. É um descanso. E é metade do preço da da Benefit!

Este shopping spree de maquilhagem terminou com um novo bronzer. Nos últimos 5 anos usei o Baked to Last, da Body Shop, mas achei que estava na hora de mudar. A razão é simples: esse bronzer tinha brilho e ao fim deste tempo todo estava um bocado cansada desse aspecto tão... shimmery. Desta vez queria uma coisa mate. Como em equipa que ganha não se mexe foi à Body Shop que voltei.


im_1-12.jpg


Trouxe este da gama Honey. A cor é muito bonita, nada artificial, o acabamento é mate e é óptimo para fazer o contorno do rosto. As cores disponíveis são surpreendentemente naturais. Normalmente os bronzers tendem a ser demasiado alaranjados e pensava que tinha de optar por um muito clarinho, mas afinal não. A minha cor é a 003 e o resultado é um bronzeado discreto, o que me leva a crer que esta gama pode ser perfeita para pessoas de pele clara. A embalagem tem um espelho na tampa e por isso este produto acaba por ser uma espécie de dois em um: bronzer e espelho compacto. Dá muito jeito para ter na mala e para levar de viagem. Tem a qualidade dos produtos Body Shop, que é sempre muito boa, e custa 15€. Agora que penso nisso... tudo o que mencionei custou o mesmo. Que pontaria!

1 comentário

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D