Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

zona de desconforto

zona de desconforto

Coitadinha, é tão branquinha...

Há duas coisas que as pessoas se acham sempre no direito de fazer e que a mim me causam uma certa confusão. A primeira é acharem que por estarem a conversar com uma mulher grávida estão no direito de lhe acariciar a barriga, seja a grávida sua filha ou uma estranha com quem se cruzaram no supermercado. Se está grávida, se tem um barrigão, então está subentendido que qualquer pessoa, a qualquer altura, lhe pode tocar na barriga. Se não estivesse grávida era só muito estranho, mas como está grávida já não faz mal. A segunda é acharem que podem fazer comentários sobre o tom de pele das outras pessoas durante toooodo o Verão, especialmente das branquinhas, como eu. Sobre este segundo flagelo já falei aqui, mas é uma coisa tão actual que nunca é demais regressar ao tema. 
Ontem à noite quando estávamos a pagar a conta do jantar uma das empregadas virou-se para mim e soltou um: "Esta menina ainda está muito branquinha!", com um sorriso maroto. Mas... que raio de comentário, completamente gratuito, é este? E qual é a razão do "ainda"? Isto é alguma competição? Será que estava a decorrer o concurso Miss Bronze '15 e eu não reparei? E será que a senhora fazia parte do júri? Tive de fazer o meu melhor sorriso e explicar, com calma, apesar de já não poder com estas observações, que estou e estarei sempre porque é essa a minha cor. Tenho uma tez clara. Simples. "Ah, pois, então tem de ter cuidado com o sol! Tem estado muito forte." Sim, obrigada, eu sei. Não acordei ontem com uma pele clarinha, toda a minha vida soube que tinha de ter particular cuidado com o sol. 
Este ano tem sido particularmente fértil neste tipo de observações. Um dia antes de vir de férias uma pessoa extremamente inconveniente com quem só tinha estado duas vezes disse: "Ai vai de férias! Está mesmo a precisar que está muito branca!" e diz isto com um tom como se estivesse a falar com alguém com lepra! Voltei a explicar que por muitas férias que tirasse nunca ia ficar escura, como ela, por exemplo, que tinha a pele toda queimada do sol. "Ah estou a ver. Deve ser como a minha filha que tem de se besuntar com factor 50, senão fica que parece uma lagosta." e isto leva-nos a outro ponto: sempre que digo que não me bronzeio muito há sempre uma alminha que faz um olhar de pena e lamenta: "Pois... primeiro ficas toda vermelha e só depois é que passa a bronze não é?". Huumm... não?! Fico vermelha se não tiver cuidado e ficar horas a torrar ao sol. Aí sim, fico vermelha, como, acho eu, qualquer pessoa. Ou o pessoal naturalmente mais moreno é imune aos escaldões? Não me parece. Se usar os protectores adequados ao meu tipo de pele e se me proteger nas horas de maior calor, mesmo estando na praia, vou-me bronzeando gradualmente. E não, não fico vermelha. Sei que pode ser um choque para muita gente, mas vou ganhando um tom douradinho, ainda que para muitos um bronzeado como deve ser só conte a partir do momento em que alguém se pareça com uma tablete de chocolate negro com 70% de cacau. 
Pessoas, façam a vossa cena, sejam conscientes e protejam-se do sol, não queiram ganhar bronze à pressa que isso, mais tarde, paga-se e deixem as outras pessoas em paz. Nós, as branquinhas, dispensamos os vossos comentários patetas. Ser mais clarinha que a grande maioria dos portugueses não é crime nem doença ok? E, ao contrário do que possam pensar, isto não é nenhum concurso para ver quem chega ao fim do Verão mais escuro. Relaxem.


Boas férias.

1 comentário

Comentar post