Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

zona de desconforto

zona de desconforto

Oh não, eles voltaram #1 - Tops que não têm alças mas que também não são cai-cai ou, em inglês, "off shoulder tops"

É de mim ou a ciclicidade da moda está a ser demasiado rápida? Custa-me utilizar a expressão “no meu tempo isso também se usava” como se fosse uma pessoa que já cá esteja há muito tempo mas, de facto, muitas das coisas que estão a voltar agora eu também já as usei na adolescência, ali entre o ensino básico e o secundário, e isso é uma tristeza. Não por ver o tempo passar tão depressa mas porque aquilo que se usou há 16 anos era assim a modos que medonho. Bem, talvez “medonho” seja uma palavra demasiado forte mas bom não era de certeza. Já aqui falei das calças à boca-de-sino que fizeram furor nos anos 70, que voltaram nos anos 2000 e que já cá estão outra vez. Porquêeeeeee? Mas com as calças estão a chegar outras coisas que estão ali entre o piroso e o azeite virgem extra da Galo.

 

1dc109b72654952bb3ae195aca4bfca6.jpg

735386264bf1ea79cdd684d81c315534.jpg

fashion-2016-04-off-the-shoulder-top-street-style-

white-off-shoulder-top.jpg

 

Porquê? Porque é que isto está a voltar? Era uma má ideia em 2004 e continua a sê-lo agora. Ok, sou suspeita. Tudo o que tenha um aspecto levemente hippie - ou boho, como se diz agora - já me causa alguma aversão, mas não é só por isso. Usei tops como estes quando tinha 18 anos e lembro-me bem que eram peças de roupa estúpidas. Aquilo tem ali um elástico fininho ao nível do peito que não só deixa a pele marcada como fica todo frouxo ao fim de 5 ou 6 utilizações. Ah! E a dificuldade que é levantar os braços com coisas destas vestidas? Se forem ao supermercado e tiverem de se esticar para chegar a uma prateleira um bocadinho mais alta preparem-se para, num abrir e fechar de olhos, terem o elástico no pescoço ou, pior, levarem com ele nos queixais. Porque, sim, aquilo salta e sai do sítio ao mínimo movimento mais expansivo. E quando finalmente baixamos os bracinhos é ver-nos a ajeitar a roupa, a puxar o top para baixo para ficar estrategicamente a 5 centímetros do ombro, com todo o embaraço que isso acarreta em espaços públicos. Era mesmo disto que nós precisámos não era? De mais uma peça de roupa que nos dificulta a vida. Já não bastavam as calças de cintura subida quase até ao pescoço que fazem do sentar, esse movimento outrora simples, um desafio, especialmente nos dias em que o almoço foi cozido.