Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

zona de desconforto.

zona de desconforto.

14
Out15

Workout report - A lesão

Neste momento escrevo devagar, devagarinho com a mão esquerda enquanto a direita e todo o respectivo braço está 'ssogadito enfiado num daqueles slings azuis horrorosos que se compram nas farmácias. Lembram-se da espectacular aula de TRX da passada quinta-feira? Aquela que eu tinha adorado e que ia repetir já esta semana? Pois, não vai acontecer. Depois de uma simpática semana de exercício bastou uma aula de 30 minutos de TRX para ganhar um espectacular estiramento muscular no braço direito. Bom, o facto de ter andado a carregar caixas durante todo o dia a seguinte também não ajudou nada. Sábado acordei com os braços doridos mas, ainda assim, fui treinar - cardio e pernas - durante a tarde fiz a minha vida normal com algumas dores mais fortes no braço direito e à noite foi o descalabro. As dores começaram a aumentar, comecei a deixar de conseguir mexer o braço e domingo acordei com ele praticamente imóvel, inchado e com muitas dores. Na segunda-feira fui fazer uma ecografia e o médico depois de repetir três vezes um carinhoso e reconfortante "que lindo 31 que você práqui arranjou!" exigiu que imobilizasse o braço o mais rapidamente possível. "Use um lenço, qualquer coisa que a impeça de mexer o braço!" Daí o sling que me acompanha todo o santo dia e que o meu homem tão simpaticamente me foi comprar à hora do almoço quando lhe liguei quase em lágrimas a dar a boa-nova. "Ele disse que era urgente que eu imobilizasse o braço! URGENTE! E agora? Só tenho aqui lenços da Zara às flores para pôr ao pescoço!" Enfim, dramas da mulher moderna.

Estou há 3 dias fechada em casa a deprimir, farta do cheiro a Voltaren e do sling que me acompanha para todo o lado e desconfio que o meu gato está zangado por me ter aqui ao pé dele tantos dias seguidos. Passa o tempo todo a dormir no cadeirão da sala de costas voltadas para mim e no primeiro dia deixou-me sozinha na sala e esteve o tempo todo deitado na cama dele na outra ponta da casa. E ele NUNCA se deita naquela cama. Devo estar mesmo a emanar energias negativas por todos os poros. Não é para menos. Ter o braço direito imóvel transforma qualquer tarefa num pesadelo. Ontem quis tirar a panela da sopa do frigorífico e como só tinha o fraquinho e desajeitado braço esquerdo disponível tive de arrastar a panela até à beirinha da prateleira, apoiá-la no ombro, pedir a todos os santinhos para aquilo não se entornar por mim abaixo, ir nesta linda figura até à bancada da cozinha, baixar-me até ficar com o ombro ao nível da bancada e deixá-la escorregar. Para a voltar a pôr no frigorífico foi um filme ainda maior que envolveu uma cadeira porque não tinha forças no braço esquerdo para a elevar até à última prateleira, que é o único sítio onde ela cabe. Com isto tudo espero não ter arranjado nova lesão, que eu já não tenho confiança em nenhuma fibra muscular deste corpinho.

Posto isto, o ginásio passou para segundo plano pelo menos nas próximas semanas, logo agora que me estava a sentir tão motivada... Já tinha os treinos todos apontados na agenda do telemóvel - se não está na agenda não é real - mas já os apaguei para não me pôr com ideias. 

large.jpg

 

De certeza que isto foi escrito por alguém que nunca se lesionou durante um treino. 

 

1 comentário

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

passaram por aqui